Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2014

Manicômio tributário Brasileiro

Imagem
A elevada carga tributária e a vergonhosa burocracia para recolher o tributo corroem a competitividade das empresas brasileiras. O sistema tributário brasileiro não é nada simples, não é equânime, não é estável e principalmente não é transparente. A complexidade do sistema tributário traz um vácuo jurídico que transforma em uma enorme insegurança afastando investimentos e geração de empregos. Estima-se que uma empresa gaste em média 2600 horas por anos para administrar o sistema tributário brasileiro. Os burocratas são incapazes de afirmar quantos tributos o Brasil têm com exatidão o que torna impossível a sua gestão. Não bastando a sua complexidade existem distorções setoriais inexplicáveis.
Neste cenário é que o empreendedor brasileiro se aventura. A solução passa por uma revolução conceitual da base tributária brasileira e uma enorme vontade política de acertar os ponteiros. Nunca existirá oportunidade para a chamada reforma tributária, pois os feudos institucionalizados são barrei…

Desafiando Gigantes

Imagem
Na vida passamos boa parte do nosso tempo nos curvando diante dos gigantes. Afinal eles são “melhores do que nós”, já que na história da vida os mais “fortes” sempre vencem.

O ser humano adquiriu conflitos com muita facilidade. Podemos citar, dentre eles, os complexos de inferioridade, timidez, fobias, depressão, obsessão, pânico, rigidez, perfeccionismo, insegurança, preocupação excessiva com o futuro e, principalmente, com a imagem social. Vivemos da nossa aparência.

A sociedade cria o maior gigante a ser vencido: o da imagem social.

A história bíblica que mais me cativou na infância foi a de Golias, o gigante que aterrorizou a Rei Saul.

Golias representava o poder, a força, e a coragem de enfrentar tudo e todos. Nada poderia deter esta máquina de conquista. Ele sozinho era visto como um exército capaz de subjugar um povo somente por sua aparência. Fazia nações tremerem somente com sua fama e reis se curvarem diante da sua majestade.

Davi era um pastor de ovelhas, moço, quase um men…

Odeio cuidar das finanças da minha empresa

Imagem
A maioria dos empreendedores acabam sempre fugindo de uma obrigação que pode custar sua existência: Organizar as finanças das sua empresa. 
O descontrole financeiro é um dos fatores que mais levam a insolvência do negócio. Os pequenos e médios empresários costumam misturar suas contas, não acompanhar o resultado com periodicidade e não sabem dimensionar a sua necessidade de capital. 
Nem tudo está perdido. O primeiro passo é saber controlar o seu fluxo de caixa conhecendo os prazos de pagamento e recebimento para dimensionar suas necessidades de curto, médio e longo prazo. O segundo passo é não misturar suas contas pessoais com as contas da empresa. A empresa deve ter claro os valores e as periodicidades da retirada do sócio dentro da sua capacidade de geração de caixa. O terceiro passo é ter disciplina no acompanhamento diário do fluxo e indicadores da empresa tais como: Faturamento; custo fixo; custo total; lucro nominal; margem de contribuição; endividamento; e lucro operacional (EB…