Sonho Grande

Alguns aspectos importantes vem me acompanhando minha empreita no mundo corporativo. Em recente leitura do livro Sonho Grande de Cristiane Correa sobre a trajetória empresarial de João Paulo Lemann, que soube como nunca explorar a ganancia humana em prol do desenvolvimento dos seus negócios levando a se tornar a maior fortuna brasileira, uma das dez maiores do mundo. Inspirou estas linhas. A jornalista Cristiane Correa fez uma obra invejável. Apesar de contar a história do ponto de vista dos empresários, não se limitou em somente em "bajular" os super poderosos, o que tornou mais enriquecedora a leitura desta obra.

O prefácio do livro é uma aula de gestão escrita por Jim Colins que em poucas paginas descreve dez aspectos de como construir uma grande empresa duradoura:

  1. Investir Sempre e acima de tudo em pessoas. O principal ingrediente aplicado foi uma obsessão em sempre ter pessoas certas, investir nelas, desafiando-as sempre, promovendo oportunidade de experimentar a alegria da realização de grandes sonhos;
  2. Sustentar o impulso com um grande sonho. Grandes Alpinistas necessitam de grandes montanhas para escalar sempre e indefinitivamente.
  3. Crie uma cultura meritocrática com incentivos alinhados. Valorizar sempre o desempenho, a realização, a contribuição, o talento. Assim a soma de sonhos, pessoas certas e motivadas e uma cultura de conquista cria uma receita para o sucesso sustentado. Somente os medíocres tem medo da meritocracia.
  4. A cultura é a chave da disciplina. Saiba preservar a essência e estimular o progresso.
  5. Concentre-se em criar algo grande. O pequeno destrói o grande.
  6. A simplicidade tem a magia da genialidade. O seu tempo tem que ser dedicado ao que é mais importante.
  7. Fanatismo. Não existe caminho fácil. Existe apenas esforço intenso de longo prazo sustentado.
  8. Disciplina e calma são a chave do sucesso em momentos de crise.
  9. Montar um conselho forte, disciplinado e poderoso.
  10. A busca incessante pelo aprendizado através de pessoas que fizeram e fazem  diferença.
 Jim Collis demonstrou ser um entusiasta dos empresários colocando-os no mesmo nível dos visionários Walt Disney, Henry Ford, Sam Walton, Steve Jobs e Akio Murita.

A ganância é um sentimento humano que se caracteriza pela vontade de possuir para si próprio tudo o que admira. É a vontade exagerada de possuir qualquer coisa. É um desejo excessivo direcionada principalmente à riqueza material, nos dias de hoje pelo dinheiro. Contudo é associada também a outras formas de poder, tal qual influencia às pessoas de tal maneira que seus praticantes chegam ao cúmulo de corromper terceiros e se deixar corromper, manipular e enganar chegando ao extremo de tirar a vida de seus desafetos. No Cristianismo, ganância é um dos sete pecados capitais.

O grupo chefiado pelo João Paulo Lemann soube como nunca explorar este sentimento humano descrito em doses suficientes para leva-los a conquistas inexoráveis do capitalismo. Imaginar na década de 80 que um dia seria possível alguém do terceiro mundo comprar as principais marcas americanas de consumo não passaria de uma grande piada de conquista.

No incio da década de 90 fui um dos possíveis PDSs - poor, smart, deep desire to get rich (pobre, esperto, com grande desejo de enriquecer) alinhando com uma formação em uma escola de primeira linha e um pequena vivencia internacional. Participei de um relâmpago processo seletivo que me levou em um dia a conversar um dos seus lideres. No final o veredito, você não serve para nós te falta o desejo excessivo de enriquecer. Verdade sempre tive uma formação por princípios cristãos e a ganância sempre me foi apresentada como um dos piores pecados capitais. Ser ganancioso era um pré requisito que não tinha na dose certa para fazer parte desta "seita".

Aquele veredito para mim foi uma das piores derrotas que enfrentei em minha jornada. O meu desejo de apreender com um time de vencedores era latente e sabia que lá seria um caminho que me levarias a cumes jamais imaginados.

A semente da autodestruição estava plantada no Garantia, a contratação somente dos PDSs iria um dia colocar a empresa em xeque mate, pois não existe um sentimento de maior autodestruição de uma sociedade do que a ganância. Assistimos sua autodestruição no final da década de 90. O mercado hoje brasileiro é feito de muitos milionários oriundos desta escola de PDSs. O efeito colateral desta "seita fanática" que iniciou no mercado financeiro e se alastrou a todos os outros pode ser identificado em muitas empresas que estão se definhando com doses descontroladas deste sentimento humano.

Sou um entusiasta do modelo adotado e apresentado pelo Falconi que encontrou um campo propicio dentro das empresas lideradas pelo João Paulo Lemann. Acredito que trouxe um equilíbrio e fortalecimento de princípios onde a recompensa só vira dentro de padrões inclusive éticos trazendo nova dimensão para o modelo desenvolvido ao longo dos anos por este Dream Time.

Walt Disney escreveu que se podemos sonhar, também podemos tornar nossos sonhos realidade. Este grupo assim o fez sonhou e tornou realidade. Não deixou para traz um pedaço do futuro. Continuam subindo montanhas cada vez maiores. Equilibraram o possível e o impossível tornando o tempo o seu maior aliado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os problemas da pesquisa por quota

Tempestade Perfeita

NUNCA ABRA MÃO DOS SEUS VALORES PESSOAIS