Você educa seu filho para que ele saiba administrar suas finanças pessoais?

A educação financeira é muito importante que desde cedo os filhos entendam que o dinheiro acaba se não for bem cuidado. Ao ensinar seu filho a administrar os gastos desde pequeno, ele já começa a entender que é preciso controlar as finanças, que nem sempre tudo que você quer cabe no orçamento e que algumas vezes é preciso abrir mão de algo no presente para conseguir algo maior no futuro. Começar com uma semanada e passar para a mesada depois, quando ele já tem mais condições de se planejar mensalmente, são algumas dicas para que ele entenda como algumas relações financeiras funcionam. Conversar com a criança sobre o orçamento familiar, sobre uma eventual demissão e dizer não, fazendo com que ela também passe por frustrações, a levará a saber como lidar melhor com esse tipo de situação quando ela tiver que enfrentar dificuldades sozinha. E quanto maior a familiaridade do seu filho com o dinheiro, mais tranquila será a sua relação com as finanças quando ele for adulto.
Salvador - BA
Seu filho deve saber qual é a sua profissão, a empresa na qual você trabalho e suas funções e sobre como o negócio funciona. Como sua renda é gerada. O ideal é que partir dos seis anos você dedique uma semanada ao seu filho e a partir dos 12 anos uma mesada. Depende muito da maturidade que ele apresente. O valor deve ser estipulado em conjunto e conversado com ele sobre como ele deve usar o dinheiro, para comprar o lanche da escola, para pagar o cinema, ou para comprar brinquedos. De acordo com os gastos dele e o seu orçamento definam juntos um valor adequado da mesada. Não esqueça de alertar que caso o recurso acabe ele deve levar lanche de casa, não vai poder ir ao cinema e que ele deve entender que não pode comprar tudo o que quiser e que deve fazer escolhas. Por isso, terá que esperar até a próxima semanada/mesada.
Na formação de gestor de finanças pessoais o seu filho precisa aprender a lidar com frustrações. Dizer não para desejos traz consciência da importância de saber lidar com orçamento pessoal.

Compartilhar quais são nossas contas básicas, como água, luz, condomínio, a mensalidade escolar, o aluguel ou financiamento da casa e sabe qual é a renda média da família .Diga que o que for economizado nas contas de casa pode servir para comprar algo para melhorar o conforto de todos. Portanto evitar desperdícios com conta de luz e água é o primeiro passo para educar o seu filho.Faça uma lista de compras e passe a comprar só o que foi planejado limitando o impulso.

Todos podem ter imprevistos como perda de emprego ou redução da renda. Explique a todos os membros que passa por uma fase difícil e que a família toda deve colaborar para superar a situação. E que, se for necessário cortes, planejem juntos alguns cortes que devem ser feitos.

Quando seu filho passar a ter renda própria não esqueça de comemorar o fato e dizer que ele deve começar a pagar suas contas, além de alguma conta da casa, mesmo que você não precise da colaboração, apenas para que ele crie uma consciência maior sobre os gastos familiares. Orienta-o a ser investidor economizando 10%  do dinheiro em uma aplicação segura e planejar o gasto de forma não precisar de empréstimos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os problemas da pesquisa por quota

Tempestade Perfeita

NUNCA ABRA MÃO DOS SEUS VALORES PESSOAIS