Queda de audiência

Em outubro de 2009 publiquei neste Blog uma reflexão sobre o futuro da Televisão Brasileira. (Clique aqui para ler o artigo). Recente movimento da principal emissora de televisão aberta mexendo no que era considerado um dogma pelos seus gestores, sua programação, me levou a voltar no tema. O ano de 2013 foi marcado com a queda da audiência das principais emissoras de TV aberta brasileiras em todas as faixas de horário. O principal ponto é que o público não está mudando de canal. Ele simplesmente está desligando a TV para fazer qualquer outra coisa, sobretudo acessar a internet – seja no computador, seja nos dispositivos móveis, como smartphone e tablet.
Com isso, o número de TVs ligadas, está cada vez menor. De acordo com dados do Ibope, de 1º de janeiro a 26 de dezembro, a média diária (das 7h à meia-noite) da Globo foi de 14,3 pontos. Já o SBT encerrou o ano 5,3 pontos de média diária, ante 5,6 pontos em 2012. A Record também não teve um ano de crescimento: marcou em 2013 média de 6,1 pontos, ante 6,2 de 2012. A Band manteve a mesma audiência de 2,5 pontos. Já a TV Cultura cresceu: alcançou média de 1,2 ponto (2013), ante 1 ponto do ano anterior. A Rede TV! passou de 0,9 (2012) para 0,8 ponto (2013).
A queda se repete principalmente no horário nobre, das 18h à meia-noite: a Globo caiu de 24,6 pontos em 2012 para 23,2 pontos em 2013. O SBT passou de 6,7 para 6,5 pontos. A Band foi de 3,7 para 3,5 pontos. A Rede TV! marcou 1,2 ponto neste ano, ante 1,3 em 2012. Apenas Record e TV Cultura cresceram na faixa nobre. A Record foi de 7,7 para 7,9 pontos, e a Cultura, de 0,9 para 1,4 ponto.
Esse resultado mostra a dificuldade da atual novela das 9 da Rede Globo passar dos 40 pontos ou a principal (e única) novela da Record, por exemplo, não conseguirem registrar mais dois dígitos. O público tem outros interesses não é possível mais ignorar a força da internet.
A TV aberta está vivendo uma queda latente e, aos poucos, está deixando de ser o foco da atenção do público. Isso se dá não só pela qualidade das atrações exibidas, mas pela diversidade de opções que público possui: TV Paga, DVD, vídeo-game e porque não dizer da própria internet. Hoje o videos lançados na internet passam a pautar a chamada grande mídia, que dedicam parte da sua programação para comentar estes fenômenos.
Uma questão já é fato: as pessoas passam mais tempo na frente do computador do que da TV. Uma pesquisa recente chamada de "Brasil Conectado – Hábitos de Consumo de Mídia" mostra que para 82% dos 2.075 entrevistados a internet já é considerada o meio mais importante de informação. Esse público passa em média duas horas por dia navegando, enquanto 25% gastam o mesmo tempo assistindo TV.
Não dá mais para negar a internet ou pensar em um produto que não tenha algo relacionado à internet. Isso mostra uma ruptura de paradigma da mídia tradicional e que, provavelmente, vai já está influenciando os rumos da comunicação. A convergência já começou!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os problemas da pesquisa por quota

Tempestade Perfeita

NUNCA ABRA MÃO DOS SEUS VALORES PESSOAIS