Briatore e a Renault




A história do menino piquet que foi demitido e contrariado decidiu contar tudo com a ajuda do papai colocou em risco uma vitoriosa carreira de um executivo acostumado a tomar decisões.


Assim que as notícias começaram a circular na Fórmula 1 o brasileiro Carlos Ghosn, presidente da Renault, chamou Flavio Briatore às pressas para pedir explicações sobre a suposta armação que proporcionou a vitória de Fernando Alonso no GP de Cingapura do ano passado.

De acordo com o site da emissora norte-americana SpeedTV, Ghosn estaria disposto a apoiar o dirigente e o chefe de engenharia Pat Symonds, cogitando a possibilidade de até mesmo processar o brasileiro Nelsinho Piquet.

O presidente da Renault é considerado "Uma máquina movida a razão". No comando da Renault-Nissan, o brasileiro Carlos Ghosn só toma decisões baseado em fatos e números -- e não tem receio de ser impopular afirmou a revista EXAME em matéria de 22/03/2007.

Segundo estimativas do próprio Ghosn, ele chega a tomar até quatro decisões "de peso" todos os dias -- resoluções que podem alterar drasticamente os rumos do negócio, como alocação de investimentos, medidas de controle de custos, lançamento de novos produtos e remanejamento de pessoal. "São sempre decisões muito difíceis", afirmou Ghosn a EXAME. "Sou engenheiro de formação, e isso me ajuda muito. Meu método de análise é bastante científico, calcado na análise de fatos, não em idéias ou suposições."

Os apaixonados pela categoria não podem esquecer que o papai piquet não era um exemplo a ser seguido. Em 1982 fraudou o peso do seu carro para levar vantagem, foi desclassificado. Fez questão de difamar o jovem Airton Senna dizendo que era homossexual, ao perceber que sua fama estava em declínio.

A última do papai foi tentar chantagear a escuderia para manter o emprego do garoto. O que Briatore não esperava é que o papai iria cumprir a sua promessa em troca de uma delação premiada.

O italiano, Briatore, nega a trapaça com os brasileiros piquet para beneficiar o espanhol Alonso. O tabuleiro mostra cada passo do jogo sórdido maquiavélico elaborado no curral da escuderia Renault e aparentemente executado com maestria. Nem os engenheiros da escuderia acreditaram que a orientação era correta em Cingapura.

O que está em jogo é a imagem da Renault atrelada inicialmente a uma escuderia vencedora e agora vê tudo desmoronar como um castelo de cartas.

O Presidente da Renault tem nas mãos uma das mais importantes decisões da sua carreira. A sua decisão poderá alavancar a marca Renault no mundo como sendo uma empresa que tem compromisso com a verdade assumindo todas as consequências inerentes ao episódio independente da decisão da FIA.

Os fatos publicados por si já servem de base para algumas medidas como afastar o Briatore e Alonso da Renault até que sejam apurados todos os fatos e o veredito seja promulgado.

O menino piquet enterrou sua carreira com fama de desonesto e imaturo.



Acelera Rubinho este é o seu ano!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os problemas da pesquisa por quota

Tempestade Perfeita

NUNCA ABRA MÃO DOS SEUS VALORES PESSOAIS